© 2019 por SALOMÉ PAIS MATOS. Orgulhosamente criado com Wix.com

NOVIDADES

Como começa 2019 com Salomé Pais Matos?
18 a 02.03.2019

Afirmando um carácter artístico camaleónico, Salomé Pais Matos e solista convidada pela Orquestra Clássica do Sul, sob a batuta do Maestro Rui Pinheiro, para tocar um dos mais belos concertos de Mozart, para Flauta e Harpa, com Rui Maia como cúmplice musical, no dia 18 de Janeiro.

A convite das Mulheres Empreendedoras Europa/África, participa a solo na Gala a realizar a 22 de Fevereiro.

Dois dias depois, a 24 de Fevereiro, realiza a solo um concerto de Música do século XVII, na Quinta da Regaleira.

Após gravar o tema "Perfeito", composto por Tiago Machado, escrito por Boss AC e interpretado por Matay, participa na final do Festival da Canção a 2 de Março.

Salomé Pais Matos participa na gravação do último CD de Bastien Baumet
a 29.11.2018

A convite de Bastien Baumet e da Banda de Música da Força Aérea Portuguesa, Salomé Pais Matos participa na gravação do último CD deste solista de eufhonium, com um percurso notável. Foram gravadas obras compostas para Bastien, de compositores de diferentes partes do Mundo. Pode conhecer mais em http://www.bastienbaumet.com/

Salomé Pais Matos com Orquestra Clássica do Sul e Quorum Ballet
01 e 02.12.2017

Em mais um projecto, Salomé Pais Matos colabora com a Orquestra Clássica do Sul, sob a batuta do Maestro Rui Pinheiro, num dos mais belos e conhecidos bailados, Lago dos Cisnes.

A Música de Tchaikovsky será o cenário para a companhia Quorum Ballet contar a história, com coreografia de Daniel Cardoso.

"O Lago dos Cisnes" conta a história do jovem Príncipe Siegfried, que se apaixona por Odette, uma rainha que foi transformada em um cisne por um feiticeiro malvado.

Considerado um dos ballets mais difíceis, pela interpretação imprescindível para a essência do espetáculo. É isso que impressiona no ballet.

 

Com espectáculos a decorrer em 1 e 2 de Dezembro de 2017, no Teatro das Figuras em Faro.

Salomé Pais Matos com Victor Gama, com 3MilRios, na Colômbia
de 12 a 15.10.2016

 Após a sua estreia mundial em Maio de 2016 em Lisboa, na Fundação Calouste Gulbenkian, "3MilRios", tem como objectivo produzir e apresentar o trabalho completo na Amazónia próximo às comunidades com as quais se trabalhou no desenvolvimento da obra. Indo em tournée à Colômbia. 

Esta ópera multi-média, reflecte sobre a destruição ambiental nas florestas e águas da Amazónia e dos Andes Colombianos, composta por Victor Gama.

Salomé Pais Matos Integra o Projecto Royal Fado
2016/2017

Após gravação do CD Royal Fado, de Yolanda Soares, Salomé Pais Matos foi a harpista seleccionada para integrar os seus espectáculos ao vivo.

"Royal Fado", aborda os fados mais eruditos de Amália Rodrigues, da sua chamada época "operática", devido à escrita e composição mais sofisticas dos fados a si dedicados e por si cantados.

Com uma roupagem instrumental fresca, com influências da Música do Mundo e Erudita, este projecto tem como instrumento central a Harpa.

Salomé Pais Matos com OCP e CNB
8.12.2016

Salomé Pais Matos volta a colaborar com a Orquestra de Câmara Portuguesa, sob a batuta de Pedro Carneiro, e com a Companhia Nacional de Bailado, que completa o 40º aniversário na temporada 2016/2017, com o bailado La Bayadère a ser estreado na integra, pela primeira vez, em Portugal.

A história, com quase 140 anos e com libreto de Sergei Khudekov, relata os amores, desencontros, traição e ciúmes de um rajá, um guerreiro, uma princesa, um faquir, um alto sacerdote hindu e uma bailadeira do templo (bayadère).

A Índia e as montanhas dos Himalaias são o cenário onde se desenrola a ação. Estreado em S. Petersburgo em 1887, pela mão de Marius Petipa, o bailado evoca uma Índia onde cabem véus de odaliscas, tutus clássicos, faquires, bugigangas, valsas europeias e todos os ingredientes que o esplendor da Rússia Imperial e o gosto pelo exótico da altura podiam imaginar à distância.

Os relatos de viagem pela Rota da Seda de Marco Polo que, por essa altura, tinham passado de histórias fantásticas a quase confirmações científicas, inflamavam ainda mais a imaginação e reproduziam em casa e com o que havia à mão as culturas para “além da Taprobana”. Um dos atos, o das Sombras, porventura o grande exemplo do classicismo académico da dança, é, apesar da sua simplicidade estrutural, de uma enorme dificuldade técnica para o corpo de baile feminino. Todo ele é deslizante, hipnótico, de beleza celestial, talvez não tenha sido por acaso que é precisamente com ele, que no guião, se atinge o Nirvana. É na consciência desta maravilhosa ambiguidade, que os criadores desta nova versão se propõem recriar La Bayadère – num tempo em que parece sabermos quase tudo, mas onde as narrativas sobre o “outro” continuam tão imaginadas, fascinantes e enigmáticas como talvez o tenham sido então.

Salomé Pais Matos em entrevista na Antena 2
24.06.2016

O XI RIO HARP FESTIVAL, apresentou a extensão internacional em Portugal integrando um concerto de Salomé Pais Matos dedicado à harpa comtemporânea portuguesa, no Centro Cultural Olga Cadaval. Um programa constituído por estreias absolutas de obras de compositores portugueses do século XXI, dedicadas à harpista, e ainda pela estreia moderna da Sonata para Harpa (1807), de João José Baldi.

 

No Rio de Janeiro, foi apresentado um programa em quinteto, com a colaboração do Quarteto de Cordas de Sintra, com vários concertos pela cidade e muito aplaudido pelo público.


Estes concertos tiveram a co-produção do Rio Harp Festival, Sintra Estúdio de Ópera e Centro Cultural Olga Cadaval, bem como o apoio da Antena 2.

Salomé Pais Matos com OML e Rui Horta em "Cabul"
3.03.2016

"CABUL" é o título da criação cénica e musical de Rui Horta, completa com música de Morton Feldman, pela Orquestra Metropolitana de Lisboa.

Partindo de uma adaptação livre de "A Missão", de Heiner Müller, Rui Horta concebe um espectáculo no qual a orquestra é colocada no próprio centro da obra, interpretando sonoridades de Morton Feldman entrecruzadas com um amplo monólogo no corpo e na voz do actor Pedro Gil.